Categories
Cannabis, Cannabis pelo mundo, cbd, cbdbrasil, drericlobato, kannalab, Uso veterinário, vivacbdbrasil

Assim como os seres humanos, a maioria dos animais vertebrados (gatos, cachorros, cavalos, golfinhos etc) tem sistema endocanabinoide e, portanto, podem ser beneficiados pelas propriedades terapêuticas da cannabis.

Como os animais também possuem o sistema endocanabinoide, a cannabis é capaz de tratar diversas condições médicas deles; entenda quais são elas.

Por Lara Santos
Assim como os seres humanos, a maioria dos animais vertebrados (gatos, cachorros, cavalos, golfinhos etc) tem sistema endocanabinoide e, portanto, podem ser beneficiados pelas propriedades terapêuticas da cannabis, que interage diretamente com esse mecanismo por meio de seus fitocanabinoides, terpenos e canaflavinas. Assim, as condições médicas que acometem os amados pets podem ser tratadas pela planta.

As evidências científicas para o tratamento de condições médicas dos animais à base de cannabis são poucas em comparação com as que existem para o uso humano, mas, ainda assim, muitos estudos já apontam como o CBD pode atuar no organismo, em especial dos cachorros, que é a espécie mais pesquisada. O primeiro animal a ser tratado com cannabis, no entanto, foi o cavalo.

Siga o Instagram da marca de CBD para uso veterinário: @KannaLab.Oficial

Doenças animais que podem ser tratadas com cannabis
Quando consideramos os cães, as condições médicas e suas intensidades de manifestação variam de acordo com raça, genética, fatores ambientais e até história de vida do animal. Já, os gatos, têm vias de metabolização de medicamentos diferentes das dos cães e menos receptores canabinoides, além de, muitas vezes, terem comportamentos e exigências opostas às da espécie canina. Eles são muito mais suscetíveis ao estresse, fator que pode afetar negativamente sua qualidade de vida – até uma simples troca de ração pode causar essa reação, por exemplo – e, muitas vezes, ocorre o oposto: as doenças dos gatos podem causar alteração comportamental.

Vale dizer que, além desses aspectos mencionados, entre ambos os pets, assim como nos seres humanos, as doenças tendem a se intensificar conforme o envelhecimento. Veja quais são as condições médicas mais recorrentes em gatos e cachorros, além de serem as que têm mais evidências científicas a respeito.

Dor
A cannabis tem propriedades anti-inflamatórias e analgésicas, ajudando a tratar dores, que podem também ser consequência de outras condições médicas, como câncer, osteoartrite, circunstâncias de pós-operatório e doenças renais e hepáticas, no caso dos gatos. No tratamento com a cannabis, estudos mostram que há uma diminuição significativa dos sintomas e, assim, uma maior qualidade de vida.

Câncer
O câncer é uma doença comum entre os animais de estimação e pode causar dores, enjoo, falta de apetite e mais. Os fitocanabinoides e outros componentes da cannabis podem auxiliar a tratar esses sintomas por conta de suas propriedades anti-inflamatórias e analgésicas, além de o CBD ter capacidade de diminuir a proliferação de células cancerígenas e, assim, retardar o crescimento de tumores.

Epilepsia e convulsões
Essa é a condição neurológica mais recorrente nos cachorros, sendo que 20 a 30% desses pets que recebem tratamento convencional contra essa doença continuam tendo convulsões descontroladas e têm efeitos colaterais sérios decorrentes desses medicamentos. Um dos conhecimentos mais disseminados a respeito do CBD é que ele tem propriedades anticonvulsivantes relevantes, a ponto de evitar a refratariedade da epilepsia. Um dos estudos mais completos em relação à cannabis e cães, inclusive, tem essa doença como tema principal.

Siga o Instagram da marca de CBD para uso veterinário: @KannaLab.Oficial

Ansiedade
Segundo um estudo finlandês, mais de 70% dos cachorros sofrem com ansiedade. Essa doença nesses animais se expressa por meio de sensibilidade a ruídos, como de fogos de artifício, além de medo de outros animais e de situações novas, perseguição da cauda, urina na casa, vocalização e salivação em excesso, impulsividade, hiperatividade, agressão e a Síndrome de Ansiedade de Separação em Cães (SASA).

Quando se fala em felinos, deve-se considerar que o gato é mais vulnerável a mudanças repentinas e, assim, pode desenvolver quadros de estresse e ansiedade que causam consequências, como diarreia, vômito, problemas de pele, mudanças de comportamento, agressividade, piora do sistema imunológico etc. Esses sintomas podem expor esses animais a doenças perigosas, como infecções respiratórias.

A cannabis, mais especificamente o CBD, tem propriedades ansiolíticas importantes que podem tratar os sintomas desses animais, prevenindo outras condições médicas, e sem gerar efeitos colaterais graves.

Inflamação, doenças inflamatórias e osteoartrite
A osteoartrite foi tema de um estudo muito importante sobre a cannabis para pets em 2018, que trouxe resultados impressionantes do uso da planta para o tratamento dessa doença. É uma patologia que afeta muitos cães de raças de porte grande e necessita de tratamentos especiais, como fisioterapia e suplementação. A cannabis poderia ser administrada em conjunto com essas duas terapias, pois tem componentes anti-inflamatórios muito eficazes, o que pode ajudar nessa condição clínica.

Hiperestesia
Apesar de ser uma doença rara, a hiperestesia tem sintomas semelhantes à de outras condições médicas que afetam os gatos. Os sintomas dessa patologia se dá por meio de pele ou pelo ondulando e contraindo-se da cauda até os ombros, comportamento maníaco, falhas de pelo na cauda e coluna, incapacidade de dormir devido a espasmos constantes, perda de apetite, vômitos, intestino solto e estresse.

O uso de CBD demonstra ser um tratamento promissor para essa condição médica, pois pode ajudar no estresse e na ansiedade do gato, melhorando, assim, as contrações da pele e do pelo e a agitação descontrolada.

Siga o Instagram da marca de CBD para uso veterinário: @KannaLab.Oficial

Doença do Trato Urinário Inferior Felino (DTUIF)
Como dito anteriormente, os gatos têm propensão a desenvolverem doenças renais por não consumirem tanta água, o que também pode causar a DTUIF. Essa condição médica está diretamente ligada ao envelhecimento do pet, assim como ao estresse (de 35 a 50% dos gatos têm recidiva de crise renal por conta desse motivo). As propriedades terapêuticas da cannabis podem controlar inflamações, dores, estresse e ansiedade, sendo que todas elas são benéficas para o tratamento dessa doença.

Pode, então, dar canabidiol para o cachorro e gato?
Como explicitado, o CBD pode ser um elemento importante para o tratamento de diversas condições médicas dos gatos e cachorros. No entanto, é imprescindível que o tutor do animal procure um veterinário especialista em medicina canabinoide para iniciar qualquer tipo de tratamento em seu pet, afinal, como não há um mercado regulamentado no Brasil, há muitos produtos à base de cannabis à venda ilegalmente no país que podem ter substâncias tóxicas e causar consequências sérias na saúde do seu animal.

Além disso, para cada condição médica e perfil do pet, são prescritas doses específicas de derivados da cannabis para se realizar um tratamento adequado. Essa é uma parte muito importante do processo, pois a dosagem é um fator delimitador para o bem-estar e a evolução do quadro do animal.

Siga o Instagram da marca de CBD para uso veterinário: @KannaLab.Oficial

Fonte: https://kayamind.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Categorias